Matéria Prima

catalogo-unicompersolicite-orcamento-unicomper

A linha de produtos desenvolvidos pela Unicomper, possuem a mais alta tecnologia, visando sustentabilidade do Meio Ambiente, do nosso Negócio e de nossos Clientes, por isso, a matéria prima escolhida para nossos produtos é o PVC Wood.

 

O composto de plástico-madeira (PVC Wood) é ambientalmente ecológico e requer menos manutenção do que as alternativas de madeira, que apodrecem com a umidade, o que não acontece com o PVC Wood, que não tem problemas com insetos e é produto à prova d’água.

 

Nosso PVC Wood é feito da mistura de plásticos e resíduos da indústria da madeira. Esse mix de matéria prima é composto por 70% de plástico e 30% de pó de madeira.

 

Essas características confiam ao PVC Wood a característica de ser um produto ambientalmente ecológico, pois, para obtermos a matéria-prima básica, não degradamos o meio ambiente.

A praticidade das guarnições em PVC-Wood, além de serem à prova d’água, dão a facilidade de moldagem em paredes com espessuras diversas, sem ser possível visualizar imperfeições de espessura. Os rodapés em PVC-Wood da Unicomper também são à prova d’água e podem ser instalados em carpetes de madeira ou pisos cerâmicos, para uso interno e externo.

 

É leve e de fácil manuseio, o que agiliza toda a logística dentro de sua obra. Os produtos Unicomper podem ser utilizados em áreas internas e externas.

A ORIGEM DO PVC

 

A matéria-prima utilizada na fabricação dos perfis é um polímero termoplástico – a resina de PVC – misturada a aditivos especiais que pode ser repetidamente amolecido por aquecimento e endurecido por resfriamento, dentro de uma faixa de temperatura característica do plástico. O PVC é auto-extinguível, ou seja, não propaga o fogo. É inerte e reciclável. Portanto, não agride a natureza.

Dois recursos naturais – sal e petróleo ou gás natural – são a base para a fabricação do PVC. Do refino do petróleo obtém-se o etileno. Por eletrólise de uma mistura de água e sal, que é a reação química pela passagem de corrente elétrica, obtém-se o cloro e a soda cáustica. Por meio de uma reação química entre o cloro e o eteno obtém-se o MVC (Monômero de Cloreto de Vinila), que submetido a outra reação química, chamada de polimerização, produz uma molécula gigante – polímero – denominada PVC – policloreto de vinila. Para ser transformada em produto final, a resina de PVC obtida necessita ser misturada a aditivos (estabilizadores térmicos, modificadores de impacto, cargas, lubrificantes, pigmentos e outros), constituindo, então, os chamados compostos de PVC. Um composto de PVC contém os tipos e as quantidades corretas de aditivos necessários para atender aos requisitos de desempenho do produto final no qual será transformado.

Os perfis de PVC utilizados na fabricação de rodapés, guarnições e batentes são resistentes à ação do fogo, ao calor. Também apresentam ótimo desempenho quando expostos à maresia das regiões litorâneas e á poluição nos grandes centros urbanos.

Desempenho ao fogo

O PVC rígido é auto-extinguível. Não propaga chamas e, portanto, não gera incêndio nem contribui para sua ocorrência. O elevado teor de cloro na composição do PVC (57%) colabora para o baixo índice de inflamabilidade (não propaga chamas) do material e para a auto-extinção das chamas formadas no processo de combustão. Por ter taxas de liberação de calor e de combustão significativamente menores do que as de outros materiais, o PVC não contribui para o aumento da extensão das chamas em caso de incêndio. Além disso, o cloreto de hidrogênio, liberado na decomposição térmica do PVC, age como inibidor da combustão. Testes realizados por institutos brasileiros de pesquisas independentes verificam que o PVC se encontra na classe A (baixo índice de propagação de chamas, segundo a norma NBR 9.442). Também apresenta baixa velocidade de propagação de chamas e gera, nesse processo, pequena quantidade de calor. Conforme o Manual de Incêndio e Lucros Cessantes, publicado pela editora Manuais Técnicos de Seguros, “a aplicação e o emprego de cloreto de polivinila (PVC), desde que em caixilhos fixos ou móveis, não agravam a Classe de Construção do Risco”.

Agentes Biológicos e Químicos

O perfil de PVC rígido apresenta ótima resistência aos agentes biológicos, isto, é, não é atacado por fungos, bactérias, brocas ou cupins. O mesmo pode-se dizer da resistência em ambientes agressivos, como regiões litorâneas e cidades com alto índice de poluição, ou quando os produtos são instalados com grande incidência de luz solar. O PVC rígido tem elevada resistência química a maresia, cal, cimento e também aos raios ultravioleta, entre outros agentes agressivos.

Referência: JUNIOR, E.H. AGNELLI, J.A.M. PESSAN, L.A. Tecnologia do PVC. São Paulo, ProEditores/Braskem, 2002. 2ª ed.